quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Alma!

Sono, preguiça, música no fone de ouvido, cabeça encostada no vidro do ônibus e vários pensamentos ao mesmo tempo. Distraída como sempre, até ouvir uma freada forte, um barulho absurdo e ver um corpo voar por cima do ônibus que estava na minha frente e cair no chão todo torto, desfigurado.
O motorista do ônibus sai com as mãos na cabeça, em choque, não acreditando no que aconteceu. Outras pessoas chegam, carros param, uns gritam, outros tentam acudir, outros ligam para policia e eu ali, atordoada.
Saí do lugar onde estava, pois ali conseguia ver toda a situação e sentei do outro lado, esperando o ônibus continuar seu percurso, o que demorou mais ou menos uns 30 minutos.
Encostei de novo a cabeça na janela e comecei a pensar em um monte de coisas ao mesmo tempo. Parei, respirei e tentei ordenar os fatos.
A Primeira coisa que me veio à cabeça foi:  por que as pessoas gostam tanto, ou por que a curiosidade é tão grande para ver  a desgraça alheia? Se ainda tivesse como ajudar, salvar, entenderia o interesse, mas ficar ali, olhando um corpo? Não vejo sentido.
Depois pensei, Não tem mais nada para ser feito. Acabou a vida dela. Acabaram-se seus problemas. Alma livre, sabe?                                                         
Crise!
Já acabou, livre
Já passou o meu temor
Do seu medo sem motivo
Riso, de manhã, riso
De neném a água já molhou
A superfície!...
Mas, por fim, veio o pensamento que agora escrevendo eu acho que deveria ter sido o primeiro. O quanto ela ainda tinha para viver e acabou tudo, ali, naquele exato momento em que ela decidiu atravessar uma pista de alta velocidade?
E ai, meu egocentrismo entrou em ação, comecei a pensar na minha vida, o que estou fazendo com ela, se estou aproveitando ou não, se estou fazendo as coisas certas, se estou lutando por objetivos reais  se estou no caminho certo, ou pelo menos em um caminho que me leve a algum lugar, que me dê recompensas.
Acho que levarei alguns dias (ou talvez a vida inteira) para conseguir todas as respostas, mas uma coisa ficou muito clara eu não estou em uma ciranda de rodas, não estou aqui a passeio, então vou me preocupar só com problemas reais, com coisas que me tragam algum tipo de benefício, que me satisfaçam e parar de me preocupar com o futuro; deixa ele chegar primeiro.

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Certos Dias...

"Que dias há n’alma me tem posto um não sei quê, que nasce não sei onde, vem não sei como, e dói não sei porquê." - Luís de Camões

O dia hoje foi muito confuso, um turbilhão de sentimentos oscilando entre oito e oitenta dentro desta cabecinha torta e passional. Euforia, angústia, entusiasmo, raiva, tranqüilidade, alegria, tristeza, descontrole total. Meu namorado liga e, durante a ligação, pede para aguardar um pouco e ouço-os, ele e a sua tia conversando. Sabe aquela voz que soa como puro cuidado, carinho e amor? Era uma conversa simples, ela perguntava se ele queria café, ou coisa parecida mas, só o timbre da voz, dos dois, me fez perceber o quanto estou carente. Não carente de amor carnal mas sim de  amor fraternal, amor materno, melhor dizendo. Chegar no fim do dia, encontrar ela lá sentada, deitar a cabeça em suas pernas e sentir o leve toque de suas mãos em meus cabelos e curtir um cafuné, quietinha.
Eu, infelizmente já desisti de procurar este gesto, acho que perdi a liberdade, com minha  mãe, de dar e receber carinho. Nos perdemos em algum momento da vida e por mais que eu queira, não tem mais volta.
Mas têm dias, certos dias, que eu queria apenas, colo, cafuné e deixar as lágrimas caírem, tudo isso para limpar a alma e afagar o coração. 

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Amanhã, tem mais...

Relógio desperta, coloco travesseiro na cabeça e viro para voltar a dormir. Dez minutos se passam e lá vai a soneca do despertador continuar a me encher o saco. Putz! Tenho que levantar. Espreguiço-me, paro um pouco, penso e nisso escuto o som dos pássaros, a claridade entrando pela janela e penso: Mau Humor, ele que vá para o ralo, tenho que agradecer a Deus por me dar um dia lindo destes e a possibilidade de poder fazer um grande dia. Então, vamos embora, levantar, tomar um bom banho, escolher uma roupa, olhar brinco, pulseira, batom... O que custa se cuidar? Faz bem.
Venho pensando da seguinte maneira ultimamente, tem coisas que não mudam, mesmo, e se quisermos algo diferente, nós é que temos que mudar. Então, vamos olhar a forma de encarar a vida desde a hora que despertamos. Agradecer por mais um dia, sorrir mais, aproveitar mais, produzir mais, assim chegaremos ao final do dia com sensação de dever cumprido. Daí é relaxar, recarregar as baterias que amanhã, tem mais.

sábado, 16 de outubro de 2010

Sonhos de uma adolescente...

Desejo algo que enlouquece, faz perder o juízo e a pureza estremece o corpo e arrepia a alma. Vontade de fugir, de correr na chuva e brincar com a espuma do mar; vontade de matar aula, de tomar sorvete com batatinha, de assistir filme em casa, deitada no chão e dividindo o travesseiro.
Desejo sentimento insano sem nenhuma racionalidade, simplesmente desejo, pele arrepiada, boca cheia d´água, cheiro de carícia.
Desejo pureza, doçura, romantismo, buquê de flores no meio da tarde, telegrama em pleno sábado dizendo "te amo", passeio de piquinique no meio da praia, regras diferentes, moda criativa.
Desejo mistura maluca de corpo, de mente, de alma, mistura fascinante do certo com o errado,do doce com o amargo. Desejo vontade de viver, intensamente, inteiramente, eternamente...

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Citações...


Não importa o que você seja, quem você seja, ou que deseja na vida, a ousadia em ser diferente reflete na sua personalidade, no seu caráter, naquilo que você é. E é assim que as pessoas lembrarão de você um dia.

- "A verdade é que todo mundo vai te machucar, você só tem que escolher por quem vale a pena sofrer."

Um dia a tristeza vai embora... Aprendemos a sorrir novamente... Fazemos novas amizades... E vemos que todo aquele sofrimento do passado, não valeu tanto a pena... Pois se a vida fez as coisas andarem dessa forma... Foi porque não era pra ser... Pois se era pra ser o que pensavamos que era, não teriamos tomado rumos diferentes... Teriamos continuado caminhando na mesma direção.

Ayrton Senna