quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Alma!

Sono, preguiça, música no fone de ouvido, cabeça encostada no vidro do ônibus e vários pensamentos ao mesmo tempo. Distraída como sempre, até ouvir uma freada forte, um barulho absurdo e ver um corpo voar por cima do ônibus que estava na minha frente e cair no chão todo torto, desfigurado.
O motorista do ônibus sai com as mãos na cabeça, em choque, não acreditando no que aconteceu. Outras pessoas chegam, carros param, uns gritam, outros tentam acudir, outros ligam para policia e eu ali, atordoada.
Saí do lugar onde estava, pois ali conseguia ver toda a situação e sentei do outro lado, esperando o ônibus continuar seu percurso, o que demorou mais ou menos uns 30 minutos.
Encostei de novo a cabeça na janela e comecei a pensar em um monte de coisas ao mesmo tempo. Parei, respirei e tentei ordenar os fatos.
A Primeira coisa que me veio à cabeça foi:  por que as pessoas gostam tanto, ou por que a curiosidade é tão grande para ver  a desgraça alheia? Se ainda tivesse como ajudar, salvar, entenderia o interesse, mas ficar ali, olhando um corpo? Não vejo sentido.
Depois pensei, Não tem mais nada para ser feito. Acabou a vida dela. Acabaram-se seus problemas. Alma livre, sabe?                                                         
Crise!
Já acabou, livre
Já passou o meu temor
Do seu medo sem motivo
Riso, de manhã, riso
De neném a água já molhou
A superfície!...
Mas, por fim, veio o pensamento que agora escrevendo eu acho que deveria ter sido o primeiro. O quanto ela ainda tinha para viver e acabou tudo, ali, naquele exato momento em que ela decidiu atravessar uma pista de alta velocidade?
E ai, meu egocentrismo entrou em ação, comecei a pensar na minha vida, o que estou fazendo com ela, se estou aproveitando ou não, se estou fazendo as coisas certas, se estou lutando por objetivos reais  se estou no caminho certo, ou pelo menos em um caminho que me leve a algum lugar, que me dê recompensas.
Acho que levarei alguns dias (ou talvez a vida inteira) para conseguir todas as respostas, mas uma coisa ficou muito clara eu não estou em uma ciranda de rodas, não estou aqui a passeio, então vou me preocupar só com problemas reais, com coisas que me tragam algum tipo de benefício, que me satisfaçam e parar de me preocupar com o futuro; deixa ele chegar primeiro.

Um comentário:

  1. A vida é realmente algo maravilhoso, tão maravilhoso que vezes fica bem difícil escolhermos um rumo, aquilo que é considerado o melhor caminho, O CERTO. Por que aquilo que é certo varia muito!!!! O que eu acho ideal, pode ser para alguém algo inadmissível!!! Enfim, todos temos ideais e convicções, alicerçadas naquilo que consideramos confiável, fidedigno e não estamos dispostos a sacrificar isso, não importa o quanto custe, pois acreditamos estar fazendo as melhores escolhas para nossa vida! Em muitos casos, isso choca aqueles que não crêem em si mesmos ou que simplesmente não conseguem tomar suas próprias decisões. Então, não desista de si mesmo porque outros não crêem naquilo que você crê, ao mesmo tempo, aprecie aquilo que outros fazem por você acreditando ser o melhor. Não julgue que as decisões de outros são sempre erradas, mas só se deixe influenciar se houver provas de que tomar outro rumo possa ser de fato o melhor; Apegue-se firmemente à sua decisão, mas tenha a certeza de que suas decisões promovem o melhor: positividade, alegria, amor... assim estará mostrando respeito pela sua vida e pela dos outros também!
    E lembre-se sempre: problemas surgirão muitas vezes, por isso, não mostre a Deus o quão grande é o seu problema, mostre ao seu problema QUÃO GRANDE é o SEU DEUS!!!

    ResponderExcluir