terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Precisamos ter fome de AMOR


Estava pensando estes dias para onde estão indo os relacionamentos. As coisas boas da vida que ficam mais gostosas quando você compartilha com alguém. Mas como disse Renato Russo: “Digam o que disserem, o mal do século é a solidão.” Um pouco de pretensão, mas assino embaixo sem dúvida alguma. Parem para notar, os sinais estão batendo em nossa cara todos os dias.


Estava dentro do ônibus dia destes, às 7hs da manhã e entra uma menina, com os sapatos na mão, aparentemente falando com a mãe no telefone. A mãe perguntava onde ela estava até àquela hora e ela respondeu que estava em uma boate que ficava a uns 40 km do ponto onde ela pegou o ônibus e este ponto por coincidência, e que coincidência, era na frente de um motel. Terminada a ligação, ela ri, vitoriosa por sua mentira ter colado.

Uma mulher na boate. Chega um cara. Falam meia dúzia de abobrinhas e daqui a pouco estão no motel. Beijos, abraços, amassos descompromissados e sexo. Depois, talvez uma conversa, uns beijinhos e um adeus.

Vontade saciada. Mas e depois? Será que não rola uma necessidade de estar com alguém não apenas por sexo? Saber se o cara tem irmãos e irmãs? Se a menina trabalha? Qual a cor preferia? O que gosta de comer? Cazuza ou Legião Urbana? Se teve caxumba ou catapora? Qual o nome do melhor amigo? Mora com os pais? Um sonho, um amor, uma realização?

Sou boba, acredito em romance, em amor, em cuidar e ser cuidada. Andar de mãos dadas, dar e receber carinho, sem necessariamente ter que mostrar depois desempenho de atletas olímpicos, dormir juntinhos, “apenas” abraçadinhos, acordar e fazer um café da manhã para quem se gosta.

Eu olho com muita tristeza para estes tipos de situação. Ninguém está livre de um sexo casual, mas banalizar como está nos dias de hoje é um desperdício.

Diversão é bom. Sexo, uma maravilha. Mas sexo e sentimento são coisas indescritíveis. Momentos de prazer, como estes oferecidos em baladas, só nos traz solidão.

Felicidade, amor, todas estas emoções nos faz parecer ridículos, abobalhados, e daí? Seja ridículo, não seja frustrado, "pague mico", saia gritando e falando bobagens, você vai descobrir mais cedo ou mais tarde que o tempo pra ser feliz é curto e cada instante que vai embora não volta.

Antes idiota do que infeliz e sozinho!
.

2 comentários:

  1. É Melissa, o sentimento amor esta em falta...mas existem sim pessoas que acreditam nesse sentimento, como é o seu caso. É assim que se faz diferença...parabens.

    ResponderExcluir