quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Querer mais. Mais querer.

Meu coração é o canto da insatisfação.



Sabem aquela sensação de que a vida está tentando te ensinar uma lição e você não está entendendo? Esse é o meu momento.
Eu tenho uma vida boa. Muito, muito boa. E toda vez que eu me pego pensando em reclamar eu me forço a olhar além do meu próprio umbigo e enxergar as coisas por outra perspectiva.
Tenho um trabalho legal, numa área em desenvolvimento no país e com bastante futuro e espaço pra crescer.
Tenho saúde para praticar os esportes que eu gosto, ainda que não os faça.
Tenho tempo para exercitar meu cérebro conversando, escrevendo e lendo.
Tenho voz pra cantar e meus males espantar.
Tenho uma família barulhenta e engraçada.
Tenho amigos pra bater na porta num fim de tarde ou pra ligar quando der saudade ou quando precisar de um ombro amigo e chorar.
Tenho energia pra viajar, conhecer lugares e pessoas novas.
Tenho mais coisas do que eu consigo usar ou até mesmo guardar.
E mesmo assim, ainda quero mais dessa vida. Quero mais dessa passagem. Mesmo que a vida venha me dando sinais de que eu já tenho o suficiente.
Aí quando eu penso na lista acima – das coisas que eu já tenho – acaba rolando um sentimento de ingratidão. E oi? Vida? Eu sou feliz, sim. Mas será que é muito errado querer ser mais feliz?


Um comentário:

  1. "Solidão é o que menos tenho. Estou sempre em festas, rodeada de pessoas, ganho muitos presentes e bajulações. Acho que os que criticam, principalmente as mulheres, têm inveja. As pessoas vivem aquilo que acreditam em um universo medíocre e se satisfazem. Quem pode me culpar por querer sempre mais?"

    http://vilamulher.terra.com.br/o-depoimento-de-uma-prostituta-de-luxo-3-1-31-86.html

    ResponderExcluir