sábado, 30 de abril de 2011

Mais, muito mais!


Nestes meus 32 anos, percebi que passei muito tempo da minha vida me importando com o que os outros vão falar. Tinha que ser uma boa aluna, boa filha, boa mulher, boa mãe e assim vai... Mas chegou uma hora que eu percebi que precisava viver, viver livre, viver para mim e me tornei mais egocêntrica do que já era. Mesmo assim ainda errava muito, ainda erro, mas hoje em dia já passei por muita coisa que me fez abrir os olhos e não é tão fácil assim me enganar. Muitos tentam, porém a verdade sempre aparece e a coisa muda de figura. Posso ser um amor de pessoa, amar, cuidar, mas me fazer de idiota, só enquanto eu quiser, enquanto eu permitir, enquanto for ‘necessário’ para satisfazer o meu ego. Sou teimosa também e muitas vezes demoro para perceber que as coisas estão me fazendo mal, mas uma vez percebido, o que me faz mal é eliminado e então, aos poucos, vou voltando e na bagagem mais uma lição.
Após esta fase de ‘cegueira’ adicionados ao egocentrismo e teimosia, defeitos graves, que olhando para trás só me trouxeram pessoas, momentos ou sentimentos ilusórios, eu volto a ter a minha ‘querida’ sensação de bem-estar. Coisas simples como: acordar leve, tomar banho cantando, chegar no trabalho sorrindo, alegria em bater papo com os amigos, rir com as caras e bocas do meu filho, ouvir uma boa música, ler um livro, escrever... Nestas horas eu lembro que nasci inteira e que não preciso de divisões e sim de somas.
Apesar de tudo, de ‘tempos’ perdidos ou achados, eu não me arrependo de nada e também não faria nada diferente. Foram estas escolhas, estas decisões, esta vivência que me faz ser o que sou hoje.
Uma vez me perguntaram se eu pudesse voltar no tempo se faria algo diferente e agora eu sei responder: Não, não voltaria e se por acaso voltasse, faria tudo novamente. Gosto do que eu sou. Estou satisfeita com o que vejo no espelho, mas não pense que eu não quero mais. Eu quero muito mais e mereço muito mais. E hoje, desculpe o linguajar, tô ‘cagando’ para o que pensam de mim.

Um comentário:

  1. Nossa vida é a somo de nossas histórias,não existe essa de certo ou errado,pois o errado sempre conduz ao certo por nos ensinar alguma lição!!!

    Felipe de Lima

    ResponderExcluir