domingo, 8 de maio de 2011

Mãe


Obrigada...

Por abdicar de sua independência para cuidar de mim.

Por ter deixado de ir à França para ficar comigo.

Por ter agüentado todas as vezes que eu me enfiava embaixo de você na cama quando estava com frio.

Por ter me mostrado de forma tão suave e clara o que era sexo. Procuro aquele livrinho até hoje. Como eu queria achar!

Por encontrar sempre minha roupa cheirosa e arrumada. Era a saia de pregas, mas bem passada do colégio.

Por ter penteado meus cabelos, pelas marias-chiquinhas, pelos rabos-de-cavalo que deixavam meus olhinhos puxados e por encher minha cabeça de colônia para que nenhum piolho safado a sujasse.

Por ter me feito ir sozinha a bancos, mercado, médico... Isso me ensinou muito mais que qualquer teoria.

Por me deixar sair com meus amigos e ficar até altas horas me esperando voltar.

Por me colocar no inglês, no Balé, no Jazz...

Por ficar do meu lado quando engravidei.

Por cuidar do meu filho com mais zelo do que cuidava de mim.

Eu nunca agradeci todas as coisas que você fez e faz por mim. Foram tantos momentos, tantas situações, tantos carinhos, tanta palavra incompreendida por mim... Mas saiba que mesmo com este meu jeito frio, duro, você fez um excelente trabalho, o melhor trabalho. Eu e o Papai do Céu sabemos que se eu sou o que sou hoje, se eu tenho caráter, integridade e princípios, devo a você.

OBRIGADA MÃE!
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário