sexta-feira, 26 de agosto de 2011

O que é a felicidade?


Existem milhares de livros e auto-ajuda dizendo que a força da mente é o que faz você ser ou não ser feliz. Mas na verdade, ninguém sabe explicar que é a felicidade.
O que é felicidade para mim, não é necessariamente felicidade para outro e vice versa. É como a saudade, que não tem tradução em nenhuma outra língua.

Eu desafio alguém me dizer se é realmente feliz. Na verdade eu desafio alguém me dizer o que é felicidade. Mas não exemplos baratos como: ser feliz é ter alguém que te ame; ser feliz é ter grana para comprar o que quiser; ser feliz é ter sucesso na vida... isso não!

Na verdade NINGUÉM é feliz, todos possuem momentos de felicidade, que eu acredito que se traduzem em momentos de intensa alegria, satisfação e paz. Sabe quando toca aquela música que você fecha os olhos e todas as notas musicais vão passando pelo seu corpo e você sente um prazer e uma leveza. Você canta com a alma, coloca para fora todo e qualquer sentimento ruim. Ou quando você quer muito uma coisa e finalmente consegue e sente um bem estar, um sorrisinho leve no canto da boca e quer exibir, quer mostrar a todos esta tal felicidade.

Mas quando eu digo que desafio alguém me falar se é realmente feliz é porque nem sempre se ouve a música que gosta, nem sempre se consegue o que quer, nem sempre você tem o que ama, nem sempre você tem um emprego bom, nem sempre se tem sucesso. Na verdade você se adapta a situação, se acomoda e acha que só por que não tem motivos para ficar triste se é feliz e NÃO, isso pra mim não é felicidade.

Até um tempo atrás eu acreditava ser feliz, sinto uma leve nostalgia do que EU era. Hoje em dia não gosto do que me tornei. Não tenho orgulho de ser quem sou. Não tenho mais prazer em nenhuma área da minha vida. Não tenho uma família que me apóia, não tenho um namorado que me ama, não tenho um emprego que me satisfaça, não dou valor ao meu filho, meus amigos se afastaram, sou um ser totalmente errante.

Pode ser amargura, pode ser frustração, mas estes ‘momentos’ de felicidade estão cada vez mais distantes. Eu acreditava que éramos pessoas inteiras e que não precisávamos de ninguém para nos dar estes momentos de felicidade, mas não, precisamos de alguém. Precisamos de amigos para conversar, família para confortar, uma pessoa para amar; Como diz a música: É impossível ser feliz sozinho!

Eu só queria voltar a ser a Melissa que eu era, leve, alegre, sorridente, que se fodia rindo e não demonstrava sua fraqueza a ninguém, que trabalhava não só por dinheiro e sim por satisfação, que era pau para toda obra e se divertia até no inferno.

Aonde eu fui parar?

Texto escrito em 25/12/2010. Ficou engavetado por muito tempo. Antes sentia vergonha de estar deste jeito, hoje tenho orgulho, pois olhando o que escrevi, sou hoje uma pessoa mais forte e com muitos ‘momentos de felicidade’. Ainda não tenho tudo que eu quero, mas aprendi amar tudo o que eu possuo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário