segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Existe um amanhã...


Etátuas e cofres e paredes pintadas
Ninguém sabe o que aconteceu
Ela se jogou da janela do quinto andar
Nada fácil de entender.

Dorme agora, é só um vento lá fora.

Você começa a entender quando chega perto do que esta pessoa passou e começa a achar fácil pular do quinto andar.

Eu sempre fui muito intensa, ou me jogava em alto mar ou preferia ficar com calor do que me refrescar molhando os dedos na beirinha do mar. Ficar feliz de não conseguir dormir ou triste de conseguir cavar o fundo do poço só para poder ficar pior.

Sempre testei meus limites, mas nunca tive medo da morte. Morte para mim é consequência e não adianta ter medo de algo inevitável.

Uma vez na minha vida eu desafiei a morte, mas desafiei consciente e certa de que ali não era o meu momento. Abusada, atrevida e achando que posso tudo.

Burra, muito burra!

Mesmo que as estrelas começassem a cair
A luz queimasse tudo ao seu redor
E fosse o fim chegando cedo
Você visse nosso corpo em chamas!
Deixa, pra lá...

Quando as estrelas começarem a cair
Me diz, me diz pra onde é que a gente vai fugir?

Desta vez eu fui desafiada e percebi que sou uma formiga diante de um palco magalomaníaco onde trocamos as sensações de uma noite por todas as sensações que podemos ter diante de uma vida. Todas as vezes que eu achava que podia demais, olhava para cara da morte e dava língua, desta vez, sua foice fez um arranhão, arranhão feio, mas consegui escapar. Tá sangrando, tá doendo, mas uma hora vai cicatrizar e toda vez que eu olhar para esta cicatriz, vou lembrar que nós temos que aproveitar a vida sim, que ela realmente não para, mas somente amar como se não houvesse amanhã, para todo resto não vale a pena.

3 comentários:

  1. Boa noite Melissa... Bela música que escolheu e seu pensamento paralelo muito belo. Já morei nesta terra. Parece que não tem mais lugar para crescer, mas cresce.

    ResponderExcluir
  2. Lindo seu texto. Emocionante reflexão sobre como devemos interpretar o sentido da vida. " ...dessa vez sua foice fez um arranhão..." Linda metáfora em um texto bem construído e cheio de sabedoria de vida! UM ABRAÇO

    ResponderExcluir
  3. Não estou dando uma parada aqui para julgar o seu texto, pois arte não se julga, apenas se aprecia... E eu visualizei algo que me agradou. Parabéns!Muita paz e luz

    ResponderExcluir