sábado, 26 de novembro de 2011

Só por hoje



Sabe a sensação de perder o fôlego por um minuto, sentir seu corpo tremer, perder a noção dos pensamentos, ter a sensação de estar caindo em um buraco negro, sem saber o que dizer, querer correr e não conseguir, querer ir embora sem olhar para trás e não ter força, um segundo parece levar dez minutos para passar e você está sufocando cada vez mais, mas de repente o ar volta você desesperadamente o puxa e se sente asfixiado por que o ar não é suficiente, nada é. Você se sente abandonada por seu corpo, seus extintos e se vê desprotegida e jogada ao chão se rendendo quando deveria fugir.
Daí você ouve uma porta se abrindo, você levanta os olhos e não quer enxergar o que é obvio ou não quer acreditar no que acabou de ver. Sua boca abre, você tenta juntar as palavras, mas elas fogem de você e tudo começa a fazer sentido, o seu chão some, as lágrimas brotam como de uma nascente infindável e você não as consegue aquietar. Você só consegue pensar nas frases: “O que eu faço?”, “Por que comigo, de novo?”, “Eu não acredito!”. E da sua boca saem palavras sufocadas direcionadas a quem você deseja não estar ali naquele momento, a quem você deseja nunca ter conhecido, e de tudo o que você pensa falar a única coisa que saí é: o que é isso? Palavras saídas de uma boca trêmula, em um rosto desolado, de uma pessoa descrente. Não dá para xingar um palavrão libertador, não dá para gritar de forma confortadora.  
Você não sabe para onde olhar e não consegue encarar quando deveria, não sabe o que pensar, uma coisa vem em sua mente, uma frase dita, e esta foi a única que você conseguiu resgatar da confusão que estava: “Você é pura!” E é mais fácil assim para te enganar sua idiota você acredita em tudo, não reclama de nada.
O que fazer? Você pede ajuda a Deus, mas parece que ele não te ouve, você torce para ser um pesadelo, mas não consegue acordar, você pede para ser 1º de abril e torce para ser uma pegadinha ou mentira de alguém, mas não é dia 12 de outubro e tudo é a verdade e é a única verdade.
Você não ouve explicações, mas não há o que explicar. Você ouve lamentações e tudo parece falso e desapropriado. Você pega o que lhe cabe no momento e só quer sair dali, correr, mas o que consegue fazer é sair vagarosamente, passo-a-passo vendo tudo nos mínimos detalhes enxergando coisas que nunca tinha reparado antes.  Você consegue sair, para e senta, desaba e não sabe o que fazer, pega o celular roda a agenda de A a Z e de Z a A. E só tem uma letra, a letra ‘M’ de uma pessoa. E você se dá conta que é só ela que você tem. E agradece a Deus por isso e a Ela também, muito obrigada! Não sei como seria se não tivesse esta única pessoa que me acolhe, aconselha e ajuda. Na verdade queria ser como esta pessoa forte e resistente, independente e segura, mas sou o contrário.
Com muito lamento e tenho que dizer que eu me deixei levar, fui fraca e cedi. E me arrependi a cada segundo após, pois sei que nada vai mudar. É o que é, e não tem volta. Mas como sempre eu dei a outra face por que ser estapeada de um lado só não basta.  E o peso de ter que pensar em todos, sempre me deixa por último, não posso envergonhar fulano, e nem decepcionar cicrano, não quero ouvir aquele “eu te avisei” do beltrano, e menos ainda o “Bem Feito” dos três. Admito que seria doído pular fora e evitar essa dor também me ajudou a ficar. Mas agora me pergunto o que será melhor: pequenas doses sofrimento por dia ou virar a garrafa de uma vez?
TM

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Minha criança

Te ver e não te querer, é improvável é impossível...


Bom olhar para você. Olhar para este rosto claro e corado como quem sempre está com vergonha. Esses olhinhos vivos e cheios de esperança. Essa boca carnuda e molhada, cheia de sabores.

Fico observando você, sua alegria, seu entusiasmo, sua gana por vida e percebo como você é uma criança linda. Criança que me tira das piores dores com a voz mais doce, com as palavras mais sutis, que me chacoalha e me põe nos eixos.

Tudo em você é surpreendente. Tem o dom de me confundir por inteira. Fico quente, fico fria, não sei como agir e/ou pensar. Só sei que você me faz bem, me sinto uma adolescente descobrindo os sentimentos, descobrindo o corpo, suas sensações e o que posso provocar nas pessoas. É bom saber que não sou apenas gostosa, que posso e consigo oferecer mais que corpo e o que ele pode proporcionar.

É minha criança linda que não sabe o poder que tem, não sabe que agora, só por agora, me contento com suas mensagens que me provocam euforia e calma, sua voz que me ferve e me congela, sua presença constante, mesmo que distante, que me enche de carinho e me maltrata de saudade. 

Você será sempre uma gostosa contradição. Uma contradição que me enche de curiosidade, que me deixa maluca de vontade e me faz crer que um dia, quem sabe, eu possa ser feliz de novo.

domingo, 13 de novembro de 2011

Intimação!



Então, é eu odeio começar frase com então, vocês não odeiam quando alguém começa a escrever frases com então? Sério, é sempre algo ruim! Então você está demitido, no melhor momento Roberto justos, ou, então eu voltei para o meu ex-namorado, ou, então eu acho que a gente precisa conversar... é o então, é dos infernos... vou reformular, posso?

Bom, a Mel me perturbou para escrever um artigo para o blog e vocês que a acompanham pode imaginar o que ela fez, sim, mandou carro de som para minha casa com um cover do Roberto Carlos, pois é, como eu poderia negar um convite (intimação) assim, e aqui estou eu para escrever...

Eu comecei a pensar no que escreveria, juro que pensei em vários assuntos, no cabelo novo do traficante Nem, na homenagem da Tereza Cristina à Nazaré, pensei em tanta coisa importante e que poderia mudar o mundo que acabei esquecendo sobre o que deveria falar e decidi enrolar, afinal a enrolação é uma arte que nos acompanha desde os tempos primórdios, afinal como vocês acham que Jesus impediu que Maria Madalena fosse apedrejada, sinceramente Jesus foi o primeiro x-men, ele andava sobre as águas, multiplicava os Pães e o poder que eu queria muito: transformar água em vinho. Ah, para. Vai dizer que você não ia querer esse poder para você? Você acabou de balançar a cabeça, não foi?

Mas de boa, quem nunca esteve naquela prova que você não sabia nada e você respondia praticamente a pergunta de outra forma, por exemplo, eu tive um professor de religião, é acredite eu tenho uma, que ele gostava que você ficasse escrevendo por páginas e páginas. Teve um prova que eu escrevi dois almaços, quem lembra que tipo de papel é esse é tão velho que nem eu, e vamos soltar fogos uhuuuuullllllll...

O que acontece na verdade é que eu preciso escrever alguma coisa, e depois da Melissa ter lido isso ela me fez prometer escrever algo sério, enfim, não sei, vamos ver, tem que ter inspiração.

- Inspiração venha já para casa menino!!!

Inspiração é masculino ou feminino, não sei, enfim... vocês entenderam a idéia... prometo que escreverei um texto melhor da próxima vez... na verdade vou escrever sobre anos 80, amo... e eu tenho uma memória surreal para coisa dessa época...

É isso, prometo que acabou o martírio... beijos!


terça-feira, 8 de novembro de 2011

Meu mundo está fechado pra visitação...


Alguns me arrancam o batom, alguns bagunçam meu cabelo, outros conseguem tirar minha roupa, outros até conseguem tudo junto, mas marcar, marcar e ficar poucos conseguem.

Conto nos dedos de uma das mãos quem conseguiu deixar algum tipo de marca e mesmo assim sobram dedos.

Mas estes poucos gosto de manter por perto. Gosto de lembrar momentos, de ficar rindo sozinha pela rua, mesmo que aos olhos dos demais pareça uma retardada. Mas que retardada feliz eu sou.

Engraçado que algumas pessoas que passaram pela minha vida são apenas nomes, não consigo lembrar muito de momentos ou coisas boas, ou se ainda tenho lembranças, estas lembranças não me causam nenhuma sensação. Às vezes me pergunto se os amei mesmo, ou se era qualquer coisa muito parecida e eu confundia tudo, mas entrei em acordo comigo e percebi que vive tão intensamente estes momentos que não sobrou nada para depois, foi tudo vivenciado e absorvido enquanto acontecia. Sendo amor ou não.

Às vezes dá preguiça
Na areia movediça
Quanto mais eu mexo
Mais afundo em mim
Eu moro num cenário
Do lado imaginário
Eu entro e saio sempre
Quando tô a fim...

Definitivamente são coisas que só eu sei... são lembranças, saudades, dores e amores que só eu sei o que fizeram e o que mudaram em minha vida.

Hoje, é muito difícil alguém abalar algum dos meus alicerces, sei que ainda existem pessoas com poder para isso, mas vou tratar de cuidar da minha construção antes que algum terremoto faça tudo desmoronar.

terça-feira, 1 de novembro de 2011

É um não querer mais que bem querer


O que nos faz gostar de alguém?

O tipo? O jeito? O toque? O beijo? O calor? Tudo junto? Tudo separado?

Tenho refletido muito no que me faz pensar em você. No que me faz sorrir ao lembrar nossos momentos, poucos, porém intensos. No que me faz querer conversar o dia todo, mandar mensagem, falar abobrinha, sentir falta.

Sinto um frio na barriga quando sei que vou te encontrar, fico triste quando não esta por perto, dou gargalhada ouvindo você falar, choro quando você não esta bem. É um eterno e gostoso estado de contradição. Um querer e não querer, uma vontade e não poder saciar, é loucura e sanidade.

Eu gosto tanto de você
Que até prefiro esconder
Deixo assim ficar subentendido...

Como uma idéia que existe na cabeça
E não tem a menor obrigação de acontecer

Acontecendo ou não, vivenciando ou não, tendo você ou não, não importa. Tudo que você me faz sentir, o bem que você me faz com simples palavras, o carinho que eu vejo no seu olhar, a alegria das suas gargalhadas, o calor e a vontade que eu sinto com seus toques, o cuidado comigo... isso basta.

Não sei o que vai ser do amanhã... mas o meu encanto por você não acaba após a meia noite.

Então:

Ah! Neguinha deixa eu gostar de você
Prá lá do meu coração não me diga
Nunca não

BJ NB