terça-feira, 15 de setembro de 2015

É preciso saber viver...


Que a loucura do dia-a-dia não envelheça a minha alma.
Que o meu senso de responsabilidade não mate a minha criança interior.
Que eu tenha dias de irritabilidade, mas que não vire rotina.
Que eu perceba quando estou sendo chata e rabugenta e respire fundo, para acalmar os ânimos.
Que eu não afaste as pessoas que gostam de mim e que eu perceba que ninguém precisa ser igual a ninguém e aí que esta a graça da vida.
Que eu consiga separar tempo para trabalho, tempo para meus filhos, tempo para meu marido, tempo para minha família e principalmente, tempo para mim.
Que eu consiga ser menos exigente e menos rígida. E que eu possa ser, novamente, mais leve, divertida e de bem com a vida.
Que eu diminua as regras, regras estas que eu impus.


Por dias sem ansiedade, por dias sem pensamentos acelerados, por dias em que eu me permita, apenas, respirar e receber o que a vida tem de bom para dar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário