quarta-feira, 30 de março de 2016

Estrelinhas


Sábado, dia 19/03/2016, assistimos a missa pelas almas. 1 mês. 1 mês sem vocês entres nos. Confesso que ainda, é muito estranho não encontrar vocês pelos corredores, dar um beijo na testa do meu pai, a vó brigando porque a gente chegou tarde, explicar 1001 vezes pro meu pai como funciona o instragram, o facebook, resetar o tablet, explicar tudo que fizemos na rua para vovó, e principalmente não ter a companhia deles.
Quando a gente tem, a gente nunca percebe como um simples gesto faz falta, um beijo de boa noite, um abraço, um carinho...
Ontem passamos o dia fazendo coisas que gostamos: bebemos, fizemos um churrasquinho, a sobremesa que meu amor gosta, enchemos a sala de brinquedos e musicas que o Vicente gosta, liguei para minha mãe, Thiago mandou mensagem para mãe dele, recebemos a visita de um grande amigo, fizemos negócios e finalmente depois de meses, temos nossa piscina de ‘prástico’ e vinda direto de Maricá (Paes temos alma de pobre e amamos isso). 
Vai caindo à noite e a casa vai ficando maior, as lacunas ficam vazias e, eu não sei o Thiago, mas minha ficha está demorando demais a cair. Procuro pelo meu pai toda vez que vou à casa da minha mãe e quando percebo que não vou encontrar, tento sair o mais rápido possível de lá.
Posso estar fugindo de tudo, ainda não sei. Ainda não consegui sentir o luto. Ainda não consegui entender que nunca mais vou ver meu pai sorrindo e contando piadas. Mas prometo te orgulhar de onde estiver. Mostrar que tudo que fez por mim não foi em vão. Que todo esforço para que eu estudasse, para que eu fosse uma pessoa melhor, deu certo. Posso não ser perfeita, mas metade do que eu sou, veio de você. Eu devo a você.
Vó, eu nunca fui uma pessoa carinhosa, mas credite que todos os beijos e abraços que eu recebi foram os melhores do mundo. Sei que a gente reclama sempre, assim como a senhora reclamava de tudo, mas agradeço de coração, a acolhida e todo amor que meu filho recebeu. Hoje, todas as recordações, são lindas. São de amor, carinho e gratidão.
Papai e vovó, vocês foram de mãos dadas e viraram estrelinhas, estrelinhas de estimação. Obrigada por tudo. Pai, obrigada por ter me dado esta vida, por me mostrar valores e me mostrar o que é um homem de verdade. Vó, obrigada por mostrar amor e aprender que nem sempre podemos levar tudo a ferro e fogo, pois no fim, poderemos ficar em um canto da sala esquecidos. E desculpe qualquer coisa.
Neste meu aniversario, meu pai, me fez a melhor declaração que eu poderia ouvir, e foi neste momento que eu percebi que não teria mais o tempo que gostaria com ele. Hoje eu só agradeço, por perceber que a vida é um sopro. Que não somos nada além de amor e o que representamos para as pessoas que nos cercam.
Mais um aprendizado, mais uma etapa. Cuide de nos, que ainda somos passiveis de erros, como raiva, desentendimentos e falta de amor.
Hoje, eu só queria passar as mãos nos cabelos lisos e brancos do meu pai e receber um beijo da vó depois do banho (ela sempre fazia isso). Mas não é possível, né?

Fica aqui uma saudade e um grande ‘muito obrigada por tudo’. 
Prometo aprender mais e aproveitar o que a vida tem de melhor. Amor é tudo que temos, amor é tudo que nos resta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário